08/06/2024 09:04

Jornalista europeu foi detido e conduzido ilegalmente pela PF escancarando a fragilidade da democracia brasileira

Se o mundo tinha dúvidas sobre a fragilidade da democracia brasileira, a partir do dia 25 de fevereiro as dúvidas se dissiparam.

Primeiro porque a manifestação convocada por Jair Bolsonaro para a avenida Paulista chamou a atenção do mundo ao mostrar o clamor do nosso povo em defesa da democracia e da liberdade, atualmente ameaçada e relativizada por poderes da República.

Segundo por que o jornalista português Sérgio Tavares foi detido arbitrariamente no aeroporto e conduzido à delegacia de polícia federal (contra a sua vontade) para averiguação, sem sequer responder a nenhum processo em nosso país.

Sérgio veio ao Brasil para cobrir os eventos da avenida Paulista e  uma audiência pública no congresso nacional sobre a obrigatoriedade da vacina de covid-19 em bebês e crianças,  nos dias 25 e 26 de fevereiro, respectivamente.

No termo de declaração prestado a polícia federal e apresentado por Sérgio Tavares consta que ele compareceu a delegacia, como se fosse um ato de sua própria vontade e não foi.

Não é demais recordar a Declaração Universal dos Direitos Humanos, Artigo 9º : “Ninguém pode ser arbitrariamente preso, detido ou exilado.”

Em seu termo de declaração não perguntaram se ele era “CIS”, mas fizeram perguntas que demonstram ter sido uma detenção em razão de suas opiniões.

As perguntas da autoridade policial foram em decorrência de algumas publicações no blog, pasmem, que o jornalista mantém em Portugal.

– O Brasil vive uma ditadura do judiciário?

– A urna eletrônica não é confiável?

– O Brasil é chefiado por um criminoso?

– Ataques a honra de ministros do STF?

Alem de ter sido questionado sobre os atos do dia 8 de janeiro de 2023.

Interessante não constar no termo de declaração do jornalista português qual autoridadedeterminou a sua detenção e nem os motivos.

Os atos ocorridos no aeroporto de São Paulo e os atos ocorridos no aeroporto de Roma teriam algo em comum?

Fonte: Jornal da cidade Online

Veja também