11/06/2024 14:46

Justiça condena dupla a mais de 30 anos de prisão por matar dois homens a pauladas em Caraguatatuba, SP

Um terceiro homem envolvido no crime está foragido da Justiça. Assassinatos ocorreram em outubro de 2021.

Dois homens foram condenados a mais de 30 anos de prisão, nesta segunda-feira (6), acusados de terem assassinado duas pessoas a pauladas após uma discussão em um bar em Caraguatatuba, no Litoral Norte de São Paulo.

O crime aconteceu em outubro de 2021. Segundo o Ministério Público de São Paulo (MP-SP), na data, as vítimas Roni Eduardo de Oliveira e Charles Moreira da Silva, que tinham 31 e 38 anos, se envolveram em uma briga em um bar na Praia das Palmeiras e, após sair do bar, foram seguidas pelos três homens com quem haviam discutido.

Ainda segundo o MP-SP, o trio, com intenção de matar, perseguiu as vítimas e e fez uma emboscada. Com instrumentos cortantes, pedaços de azulejos e pauladas, os acusados atacaram as vítimas.

Roni e Charles foram agredidos até a morte. Os dois ficaram com os rostos desfigurados pelo espancamento.

Na decisão, a juíza Isabella Carolina Miranda Rodrigues, da comarca de Caraguatatuba, condenou os réus Ricardo Alves de Souza Filho à pena de 32 anos de prisão e o réu Leonardo Júlio Panini à pena de 36 anos de prisão, ambos em regime fechado, pelo homicídio qualificado.

A juíza explicou no documento que as penas da dupla foram agravadas pelo motivo fútil do crime, o meio cruel que ocorreram os assassinatos e também pelo uso de recursos que impossibilitaram a defesa das vítimas.

Por fim, a juíza negou o direito dos condenados de recorrer em liberdade, por causa da gravidade do crime.

“Denego aos acusados o direito de recorrer em liberdade, permanecendo atuais as razões que ensejaram o decreto de sua prisão preventiva e que negaram a concessão de liberdade provisória. A gravidade do fato, evidenciada, a princípio, pela natureza do crime e pelo modo como o delito foi praticado, são circunstâncias que indicam a periculosidade da sentenciada e recomendam a manutenção de sua custódia cautelar para garantia da ordem pública”, disse a juíza na decisão.

O réu Diego Gomes Garcia, acusado de ser o terceiro homem envolvido nos assassinatos, está foragido da Justiça e ainda não foi julgado.

g1 tenta contato com as defesas de Ricardo Alves de Souza Filho, Leonardo Júlio Panini e Diego Gomes Garcia. A reportagem será atualizada caso os advogados ou os réus se manifestem.

Dois homens foram mortos a pauladas na manhã do dia 10 de outubro de 2021, após uma briga em um bar em Caraguatatuba, no Litoral Norte de São Paulo.

De acordo com a Polícia Civil, os criminosos atacaram as vítimas na rua, com golpes de madeira, machado e pedaços de azulejos, provocando ferimentos profundos no rosto e na cabeça. O resgate chegou a ser acionado, mas as vítimas não resistiram aos ferimentos e morreram no local.

Fonte: G1

Com a ajuda de imagens de câmeras de segurança, a polícia conseguiu identificar dois dos criminosos envolvidos no crime. Um deles, de 23 anos, foi preso em flagrante na época do crime.

O crime foi registrado como homicídio na delegacia de plantão de Caraguatatuba.

Veja também