08/06/2024 23:08

Prefeitura de São Sebastião Criticada por Organizar Shows em “Comemoração Fúnebre” de Tragédia

A Prefeitura de São Sebastião, no Litoral Norte de São Paulo, desencadeou críticas contundentes ao planejar dois shows musicais na manhã desta segunda-feira (19), marcando um ano desde a tragédia que ceifou 64 vidas e deixou mais de três mil desabrigados após uma chuva devastadora.

Sob a gestão de Felipe Augusto (PSDB), a administração anunciou apresentações sertanejas da dupla Henrique & Diego e da cantora Fernanda Costa como parte do “show da reconstrução”. Os shows estão programados para ocorrer após a cerimônia de entrega de 518 moradias para famílias afetadas pelo temporal.

A prefeitura, em sua publicação sobre os shows, defendeu a data como significativa para a cidade, argumentando a necessidade de “celebrar a vida” e ressaltando as entregas de moradias e obras realizadas após a tragédia.

No entanto, a iniciativa gerou indignação entre os internautas. Pâmela Sena expressou sua perplexidade: “Fazer festa no dia em que muitos choram pela perda de familiares e amigos… reconstrução? Falta de sensibilidade.” Kelvia Lima também lamentou: “Um ano de luto. Ninguém comemora luto.” Júlia Tavares reforçou o sentimento de desrespeito: “Quanta ignorância fazer barulho onde o silêncio é símbolo de respeito.”

Procurada pelo g1, a Prefeitura de São Sebastião justificou que reconhece o momento delicado para as vítimas das chuvas, mas defendeu a necessidade de “celebrar a vida” e o “recomeço”. Além disso, destacou os investimentos em obras de reconstrução, totalizando R$ 123 milhões em serviços diversos.

A entrega das moradias, realizada pelo Governo do Estado de São Paulo, marcou a manhã do dia 19. A gestão estadual enfatizou a entrega de 518 moradias como parte de um projeto classificado como o mais ágil na história do setor de habitação do estado. Ainda, outras 186 moradias foram entregues em Maresias.

Além das moradias, o prefeito Felipe Augusto assinou um decreto para a desapropriação de área visando à construção de uma escola e de um posto de saúde no bairro, no primeiro semestre.

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) de SP informou que as primeiras famílias começariam a ser transferidas no dia seguinte à entrega. As famílias contempladas são dos bairros Vila Sahy e Topolândia, além de desabrigados levados a um conjunto habitacional em Bertioga, cidade vizinha, que não precisarão pagar pelas moradias.

Em resumo, a comemoração através de shows em meio ao aniversário de uma tragédia de tamanha magnitude revela uma falta de sensibilidade e respeito às vítimas e à comunidade afetada, destacando a necessidade de uma abordagem mais empática e reflexiva diante de eventos tão dolorosos.

Por Mariana Rodrigues

Veja também