23/06/2024 10:47

Rumin8 recebe aporte para reduzir emissão de metano na pecuária brasileira

Fundo de investimento Good Karma Partners prevê liderança no mercado de soluções que combatem as emissões na pecuária

O fundo de investimento Good Karma Partners firmou parceria com a empresa australiana Rumin8 para liderar o mercado voltado em soluções que prometem reduzir a emissão de metano na pecuária.

O Good Karma tem um aporte de R$ 500 milhões para investir. Sem abrir os valores, o fundo aplicou parte desses recursos para ajudar a empresa australiana a trazer um suplemento alimentar de bovinos para o Brasil, que promete unir produção sustentável e rentabilidade. Os testes feitos em laboratório com o produto apontaram redução de até 95% nas reduções de metano, além de 9% no aumento de peso dos animais.

Esses dados reforçam a projeção de que a Rumin8 pode liderar o mercado neste segmento no médio prazo, na visão de Raphael Falcioni, sócio da Good Karma Partners.

“A capacidade de desenvolver produtos no combate às emissões de metano é limitada, não é fácil trabalhar nessa área. Não acredito que teremos muitas empresas com foco nessas soluções nos próximos anos. Além disso, vejo um potencial enorme de demanda nos EUA e uma oportunidade de destravar o mercado no Brasil, que hoje carece de suplementos acessíveis ao produtor”, disse Falcioni.

Ele acrescenta que há tempos buscava negócios para investir que estivessem em sinergia com os objetivos do fundo. A Good Karma foi apresentada à Rumin8 no ano passado, e Falcioni conta que se interessou pela proposta da empresa. Em seu site oficial, a indústria australiana disse que tem como meta descarbonizar 100 milhões de cabeças de gado até 2030.

“A pauta das mudanças climáticas ganhou muita relevância para nós. E o tema está em ebulição no mundo e também no Brasil, com a aprovação do projeto de mercado de carbono no Senado. Nesse sentido, a Rumin8 vem mostrando resultados muito animadores com sua solução, e, como a empresa é de uma família de produtores, entende a necessidade do trabalhador que está no campo”, ressaltou Raphael Falcioni.

A expectativa dele é que o produto chegue ao mercado a partir do ano que vem, mas sem uma data definida, já que ainda depende do registro do Ministério da Agricultura.

“A estratégia de expansão da Rumin8 para novos mercados é identificar e fazer parceria com empresas que estejam alinhadas aos nossos valores e comprometidas em fazer uma diferença na redução das emissões de metano da pecuária”, disse, em nota, o diretor geral da Rumin8, David Messina.

Enquanto o produto que promete reduzir as emissões de metano não chega ao mercado, o sócio da Good Karma diz que a prioridade continuará sendo os estudos sobre o aditivo, que estão sendo conduzidos pela Universidade Estadual Paulista (Unesp).

“Vamos continuar com foco na pesquisa para conseguir acelerar o registro no Ministério da Agricultura. O próximo passo é assinar acordos a nível global para aumentar a capacidade da planta na Austrália, que hoje é de 25 mil doses por dia. Só então vamos buscar empresas parceiras para atender aos consumidores no Brasil”, concluiu Falcioni.

Fonte: Globo rural

Veja também